Quarto dia da novena

« Adorai o Senhor, resplandecente de santidade. »
Salmo 95,9

Irmãos, eu caio de joelhos diante do Pai, que é a fonte de toda paternidade no céu e na terra. Ele que é tão rico em glória, que vos dá o poder pelo seu Espírito, para tornar forte o homem interior. Que o Cristo habite em vossos corações pela fé ; ficais enraizados no amor, estabelecidos no amor. Assim, vós sereis capazes de compreender com todos os fiéis, qual é a largura, o cumprimento, a altura, a profundidade… Vos conhecereis o amor do Cristo que ultrapassa tudo que podemos conhecer. Então, vós sereis satisfeitos até entrar na plenitude de Deus.

Glória a aquele que o poder de realizar em nós, pela sua força infinitamente, mais do que nós podemos pedir ou mesmo imaginar, glória a ele na Igreja e no Cristo Jesus por todas as gerações nos séculos e séculos. Amém.

Efésios 3, 14-21

Com o Bem-Aventurado Charles de Foucauld, contemplemos a infinita majestade e infinita ternura de Deus. Peçamos a graça de nos maravilhar-nos diante do mistério de Deus.

« Tu adorarás o Senhor teu Deus »…
É vós quem nos diz, meu Senhor e meu Deus : é a primeira palavra saída de vossa boca que encontramos no Evangelho na oração : é também o principal, o fundo de nossas orações : adorar.
(« O espírito de Jesus » p. 23)

Ficar aos pés do Santo Sacramento cada vez que a vontade de Deus, isto é um dever bem certo, não me obriga a me afastar (…) Passar aos pés do Santo Sacramento todos os momentos, sem exceção, em que a vontade de Deus não me chama a outro lugar, como se passa junto ao ser amado todos os momentos, sem excessão, que é possível passar.

(« La dernière place » p. 85)

Quando estamos diante do Santo Sacramento, sobretudo, que nossa primeira palavra seja sempre « obrigado » ! Obrigado por estarmos a vossos pés, meu Deus, aos pés de vosso Corpo, junto a vós ! (…) Obrigado de me permitir de vos orar, de vos falar, de vos olhar, de conversar convosco, vós meu Senhor e meu Deus, meu Bem-amado, minha felicidade e minha vida ! (…) E não somente agradecer por nós, mas por todos os homens, nossos irmãos, vossos filhos, meu Deus, que eu devo amar, que eu quero amar tão ternamente!


(« O espírito de Jesus », p. 113)

Pai Nosso…

Oração pessoal em silêncio

Oração de abandono do Padre de Foucauld